de de

Jardim Secreto - Johanna Basford


Oi pessoal! Quero falar um pouco sobre esse livro lindo-maravilhoso que eu comprei e gostei bastante, apesar de ter parado um pouco de pintar ele (por enquanto).

Montei um vídeo com as fotos que fui tirando durante a pintura dos desenhos para vocês verem a evolução. Tem váááááárias imagens ótimas na internet, que muitas pessoas postaram, fazendo um trabalho magnífico com o livro, mas as minhas são bem mais simples.

Não tenho previsão de quando (ou se) vou terminar de pintá-lo, porque tem muitas imagens, cada uma com muitos detalhes, mas vamos ao que interessa, o vídeo e as imagens.









Visite também as outras redes sociais!

  

  

  

 









de de

Começando um livro


Acho que eu deveria escrever história infantil. Quer coisa melhor que história infantil? Nossa, como eu adoro a maneira como elas são inusitadas e surpreendentes!

Elas são emocionantes e subversivas, falam sobre qualquer coisa com leveza e paixão. São divertidas. Enxergam o lado bom.

Acho que deveria escrever histórias infantis porque gosto dos livros adultos, mas, parece que, amo mesmo os infantis.Me imagino escrevendo, até escrevo, histórias que tentam ser sérias, mas serão sinceras? E se eu quiser mesmo é escrever histórias loucas? E se eu quiser mesmo é escrever o que os adultos não entendem?
Mas então vem outra questão: será que eu sou criança suficiente para escrever para crianças?

Esses dias, revirando minhas coisas antigas eu achei alguns textos que eu escrevi antes dos 12 anos, e como eram bons! Me amei mais! Me valorizei e me senti tão bem sabendo que aquilo saiu de mim!

E, além das histórias, também haviam várias ideias assim: "Escrever uma história sobre..."

Eu deveria conseguir escrevê-las agora? O que eu-mesma-criança diria?

Ai como eu me apego ao passado, divagando sobre isso aqui ao invés de ir logo escrever uma história! Talvez por isso eu tenha tido mais ideias e mais histórias e mais poesias escritas quando criança, porque eu não lembrava do passado, porque pra mim tanto fazia o que havia acontecido há um ou dois anos atrás.
E a dúvida? Que hoje eu tenho tantas e naquela época nenhuma!

E eis que surge mais uma dúvida, desta vez, respaldada por Dostoiévski: e se o passado não foi tudo aquilo?
"Apesar de que também o passado não seja melhor, parece-nos que o foi, como se tivéssemos vivido mais placidamente, e não tivéssemos tido sobre a alma essa vaga melancolia que agora nos persegue."
Mas isso não importa se estou falando em escrever para crianças, ou escrever para qualquer um. Faz tempo que me decidi: devo afirmar mais ao invés de perguntar. Até consegui um pouco, mas ainda não totalmente, servindo de exemplo a quantidade de perguntas feitas neste pequeno texto.
E vou parando por aqui, sem conclusão nenhuma, sem nem mesmo ter certeza sobre o que gostaria de ter dito.
Mas talvez você aí me entenda melhor do que eu mesma. Quem sabe?

***

Esse texto aí em cima eu escrevi umas três semanas atrás, mas agora já decidi sobre o que vou escrever e não vai ser uma história infantil.

Mas porque Lidi, você não adora histórias infantis?

Sim, eu adoro. Mas acontece que eu não tenho talento para isso, e também, acho que não me faria muito feliz. Então, para quem não sabe, eu contratei um serviço de tutoria de escrita e ontem, em minha primeira sessão, decidimos (eu e o tutor) por desenvolver melhor uma ideia que eu tive. Se trata de uma história de mistério e investigação. Também é um assunto que me atrai muito e estou muito contente em poder, finalmente, começar a escrever meu livro.



Boa sorte pra mim! HhUAhaUAhAUHa

  

  

  

 





de de

Marina - Carlos Ruiz Zafón


Hoje trago uma resenha de um livro MARAVILHOSO!! Entrou para os meus favoritos e, se eu pudesse dizer como quero escrever minhas próprias histórias, certamente seria igual ao Carlos Ruiz Zafón.

Talvez eu tenha gostado tanto porque gosto desta temática, mas não é possível largar a história ao meio, sempre existe algo a ser descoberto.

Recomendo muito!



  

  

  

 




de de

Eu sou a lenda - Richard Matheson



Hoje venho falar sobre esse livro incrível do Richard Matheson, que reúne 11 contos de fantasia/terror.

Faço algumas comparações do filme com o livro e falo sobre cada conto separadamente. Segue abaixo o minuto em que inicio cada um:

Eu sou a lenda - primeiro do vídeo

Talentos enterrados - 07:36

O quase defundo - 07:58

Presa - 08:42

Guerra de bruxa - 10:08

Dança dos mortos - 10:50

Vestido de seda branca - 11:17

Casa louca - 11:47

O funeral - 12:20

Dos lugares sombrios - 12:45

De pessoa para pessoa - 13:16