de de

P.S.: Eu te amo - Cecelia Ahern


Sinopse

Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.

Opinião curta

Assisti o filme primeiro e chorei horrores, então, apesar de não gostar de livros românticos, eu resolvi ler esse livro. Não foi surpreendente, mas foi melhor do que alguns outros romances que eu já li na vida. Talvez porque faz muito tempo que não leio romances, e os romances tenham melhorado, ou, talvez, porque esse livro é bom mesmo.

O que eu gostei bastante no livro é que ele não é inteiro triste, não faz chorar 100% do tempo, tem várias partes divertidas sobre as trapalhadas da Holly e suas amigas, por exemplo. Como o filme é um pouco diferente do livro eu não sabia se o final seria igual, então fiquei na expectativa e gostei muito do final do livro, mais do que o final do filme.

O que eu não gostei é que a autora utiliza alguns recursos que não me agradam (como fazer suspense com situações onde sabemos o que vai acontecer), então acaba ficando chato, parece enrolação. Outras coisas também relativas à narração que agora não vou me lembrar.

Fora isso, eu tive que pegar um e-book pirata para ler, porque o que eu comprei na Saraiva, simplesmente não conseguia baixar no Kobo. Então acabei lendo com muitos erros de digitação, de diagramação, de pontuação... Enfim, chato. Isso atrapalhou pra caramba minha leitura.

Quem gostaria deste livro?

Acredito que amadores de romances vão adorar esse livro, porque é muito amorzinho, ao mesmo tempo que é divertido.

Para quem perdeu um ente querido talvez seja um livro bom, porque mostra a superação da personagem após a morte do marido, sem contar que, no livro, essa superação é bem mais real do que no filme.

Acho que quem espera ler um livro para passar o tempo também vai gostar, pois, como já mencionado, é um livro divertido e tocante.

Opinião longa

Ao contrário das críticas que eu vi, achei que os atores que interpretaram os personagens foram muito bem. Imaginei a Holly exatamente como ela era no filme, assim como o Gerry e os outros.

Que eu me lembre no filme Gerry ainda está vivo no começo, no livro não, sabemos da vida deles a partir de flash backs, também no filme acho que Holly não tinha tantos irmãos, sem contar que ela mora em um apartamento nos Estados Unidos, e, pelo que entendi, no livro era mora em uma casa na Irlanda.

Lá pela metade do livro comecei a ficar impaciente, porque não estava acontecendo nada muito relevante, talvez a autora tenha tido a intenção de passar esse tédio mesmo, por causa da morte de Gerry, que Holly estava superando, por isso não conseguia ficar realmente feliz com alguma coisa.

Spoiler logo abaixo (ou seja, revelações de partes da história)

Depois da página 240 a história começou a ficar realmente legal, Holly conseguiu um emprego de vendedora de anúncios em uma revista, o que achei bem mais plausível do que ser designer de sapatos (não que não existam designer de sapatos no mundo real, mas eu imagino que seja uma profissão difícil de conseguir).

Ainda em relação à profissão, eu imaginei que uma profissão mais realista é mais favorável para que o leitor consiga se ver no lugar da personagem. Quer dizer, conseguia me visualizar na situação dela (no filme) até o momento que ela teve aquele insight e passou a desenhar sapatos e fazer o maior sucesso, porque na época eu fiquei imaginando: "Nossa, o que eu iria fazer? Não tenho esse dom criativo e empreendedor!" Então, no livro, o emprego que ela consegue é um emprego normal, onde se leva currículo e se faz entrevista. Bem mais fácil se ver no lugar da personagem dessa maneira, vocês não acham?

Uma coisa que eu gostei no filme foi ela não ter ficado com o primeiro que apareceu e estava com medo de que no livro isso acontecesse. Mas eu acabei gostando mais do final do livro, foi bem mais equilibrado e não teve influência do Gerry, ao contrário do final do filme, que foi tipo o Gerry dizendo "Se eu morrer, eu quero que você encontre esse meu amigo na Irlanda, porque é com ele que eu quero que você fique" ¬¬


Enfim, acho que é só isso que tenho a dizer, se você gostou do filme, leia o livro, porque é mais legal!

Sites com frases do livro/filme

de de

Projeto de escritora


Decidi criar um projeto pessoal para me tornar escritora. Para quem não sabe, desde que me entendo por gente quero ser escritora, mas eu tenho um sério problema de abandonar meus projetos no meio do caminho, se é que posso falar que já tenha feito algum projeto.

O fato é que resolvi começar a cursar Letras para me ajudar nesta empreitada, mas não me ajudou nem um pouco. Talvez porque estivesse fazendo à distância e não conseguisse absorver nada.
Esse semestre eu tranquei a faculdade para poder estudar mais detalhadamente as coisas que eu não estava entendendo...
Fonte
hAUaHAUahAUahUA

Tinha tudo para dar errado, mas eu acho que está dando super certo!

Por isso resolvi me esforçar o máximo possível para conseguir escrever de maneira decente. Então vou deixar registrado o Projeto de Escritora e as evoluções que estou tendo nele, assim como as metas que estabeleci para mim mesma. Se você me conhece, me ajude!

Coloquei em verde os que estou conseguindo, em azul os que estão quase, e em vermelho os que não comecei.

1ª meta - ler mais!

Status: estou cumprindo.


2ª meta - escrever mais!

Status: estou cumprindo. Lembrando que aqui estou incluindo as resenhas que estou fazendo.

de de

Mundo Estranho ed. 155 - Julho 2014


Esta edição traz uma matéria super linda sobre o Complexo de Gizé no Egito, também a origem de várias expressões populares e várias outras coisas. O que eu mais gostei e tive vontade de comentar segue abaixo.

Lembrando que os assuntos abordados aqui são apenas algumas partes da revista, que eu achei mais interessantes e que escrevo para gravar melhor na memória, ou apenas para poder buscar mais facilmente caso precise. Caso queira assinar ou comprar avulsa clique nos links abaixo.


Alguns tópicos eu coloquei no Tumblr para ficar melhor dividido, então é só clicar no título para ser redirecionado.

TOP10: As maiores obras paradas do Brasil

Choquei! É muita obra enorme em andamento (ou não). A lista segue da obra mais “barata” (R$ 17 milhões) para a mais cara (R$ 40 bilhões). Continue lendo...

Marcha a ré: Moedas no Brasil

Adorei esse tema. Sempre quis saber ao certo como foram as mudanças de moeda no Brasil, porque os nomes se repetem e vira aquela salada. As primeiras moedas, óbvio, vieram de Portugal, mas as primeiras moedas feitas no Brasil foram produzidas pelos holandeses no Nordeste. Continue lendo...

Retrato Falado: Joseph Kallinger, o sapateiro (1936-1996)

Não só era doido sozinho, mas levava o filho junto! Não só roubava, mas também torturava suas vítimas de formas bizarras! Depois, quando foi preso, tentou se matar várias vezes, tendo sido transferido para uma sela isolada com vigilância e morrendo de parada cardiorrespiratória.
Seu filho, que também o auxiliava a torturar quando criança, foi para o reformatório e, depois, ganhou pais adotivos. Só não consigo imaginar essa criança sendo normal.

Photobucket
Fonte
Capa: Mistérios milenares

Gostaria de comentar mais sobre a matéria de capa, mas é mais visual mesmo, pois descreve a estrutura das pirâmides e o mapa do complexo de Gizé.

de de

Outros tempos

Prevíamos uma carreira brilhante,
um futuro alucinante
e tudo de bom que pudesse existir.

Prevíamos chuva fresca no verão,
sol quente no inverno
e uma primavera longa.

Prevíamos, na verdade sem prever,
porque pensar no futuro não era necessário.

Mas, um dia percebemos,
que o destino de nossos sonhos
eram apenas nossas lembranças,

e que essas lembranças se tornaram
nossa vida.

Talvez um dia voltemos a prever;
uma carreira brilhante,
chuva fresca no verão,
e tudo de bom que puder existir.

Ou talvez convivamos
para sempre
com essas lembranças.

Fonte da imagem


de de

Morte súbita - J. K. Rowling

   
Adorei! Estava com muitas expectativas por ser o primeiro livro que li da J.K. depois da saga Harry Potter, mas não me decepcionou nem um pouco.

Como bem diz J.K.: "As questões sociais que abordo são relevantes em qualquer lugar: os conflitos familiares e conjugais, as tensões entre pais e filhos, o conflito ideológico entre a ênfase na autonomia e o apoio proporcionado pelas administrações", em entrevista à James Runcie (Fonte).

A história se passa no distrito de Pagford, localizado nas redondezas da cidade de Yarvil. São vários personagens, cada qual com suas características e segredos. A história começa com a morte de um dos membros do Conselho Distrital: Barry Fairbrother. Sendo que, com sua morte, abre-se uma vaga para o Conselho, que deverá ser disputada através de uma eleição.

Nesta disputa separam-se dois grupos. De um lado estão os antigos moradores de Pagford, que não gostaram da junção do bairro Fields ao distrito e querem que a cidade arque com as despesas, além da desativação da clínica de reabilitação Bellchapel localizada no distrito. Este bairro anexado é formado pelo que, aqui no Brasil, chamamos de casas populares, ou seja, casas entregues pelo Governo para famílias carentes, com bons descontos nos valores.

Do outro lado da disputa estão os defensores do bairro Fields e do bem que ele fez para as famílias que lá residem. Nesse grupo se incluía o falecido Barry. Com a morte dele as pessoas que eram suas amigas assumem a sua causa, mas nenhuma delas com tanto afinco quanto o falecido, pois defendem a ideia mais pela admiração e amizade que tinham, do que por realmente acreditar nela.

A autora apresenta os personagens de maneira gradativa, assim como seus problemas familiares e sociais. É interessante ler o desenrolar da história e perceber que, assim como na vida real, no livro cada família tem seus problemas e segredos, que não são jamais revelados à sociedade por vontade própria.

Depois de alguns desses segredos virem à tona muita coisa ainda resta acontecer, e o final da história nos apresenta uma tragédia que muda novamente o rumo da vida de todos os personagens. Achei muito natural a maneira como a autora trabalha este impacto na vida de cada um, mostrando que todos estão, de certa forma, interligados.

Este livro eu li em janeiro, mas apenas agora, quando fui revisar esta resenha, quis procurar uma entrevista que li na época, não achei, mas achei uma entrevista em vídeo que foi mais esclarecedora ainda.

Nesta entrevista (clique aqui para assistir), que ela deu no lançamento de Morte Súbita, ela menciona que a parte mais difícil de construir foi a estrutura, não dá pra duvidar nem um pouco, porque é incrível como ela conseguiu trabalhar com tantos personagens em tantas situações diferentes, sem deixar a peteca cair.

Como mencionado na entrevista também, e que eu não tinha pensado, a história não tem um personagem principal, todos tem seu destaque.

A entrevistadora ainda compara J.K. com os escritores russos, infelizmente não posso dizer se concordo ou não com essa afirmação, mas gostei muito do entrelaçamento das histórias no livro, então preciso ler os escritores russos.

Enfim, o livro é grande, mas vale a pena, só não espere algo parecido com Harry Potter.

de de

Mundo Estranho ed. 154 - Julho 2014


Só de ver que o assunto era comida já achei que a edição seria ótima! E realmente foi ótima, apesar do tema ser o mesmo, as matérias foram diversificadas e nem deu pra perceber que era tudo ligado à comilança.

Fato ou boato? Paul McCartney foi substituído?

Bom, não tinha como ser ligado à comida, então essa parte fugiu do tema, mas ficou ótima também. Como eu que sou alheia à vários clássicos musicais e não sei nada dos Beatles, então não sabia desse mistério sobre Paul ter sido substituído. De qualquer forma, tudo esclarecido nesta matéria e o McCartney não foi substituído coisa nenhuma. Mas que as mensagens subliminares são estranhas, isso são.

TOP 10: Restaurantes da ficção que viraram realidade

Quero ir no Krusty Burger (Os Simpsons – Orlando, EUA) e Three Broomsticks (Harry Potter – Orlando, EUA). Não vai ser tão difícil já que tudo fica em Orlando.

Marcha a Ré: Micro-ondas

As micro-ondas surgiram para revolucionar os radares na 2ª Guerra Mundial em 1940 e em 1945 o espertinho do Percy Spencer (não, não era o Percy Jackson, kkkkkk, #piadinhasemgraça) percebeu que os radares derretiam chocolate e a empresa Raytheon patenteou a tecnologia para fins culinários. Em 1947 surgiram os primeiros fornos a la forno micro-ondas que temos hoje #sqn, a diferença é que eles eram enormes, caros e não faziam muita coisa. Em 1967 já eram menores e mais baratos, mas ainda assim, mais caros do que hoje em dia. Depois disso mudaram algumas coisas, mas não muitas, e o forno micro-ondas ficou parado no tempo. Mas, em 2012 foi lançado pela Panasonic um micro-ondas que controla a potência das ondas, então eu pensei: “Ué, mas meu forno tem uma regulação de potência...”. E a matéria responde: “os demais micro-ondas operam sempre a 100%, com interrupções na emissão para simular variações de potência.” =O Fiquei de queixo caído.

Fui enganada! (Fonte imagem)

13 coisas que você não sabia sobre a água

Debate que eu gosto: Comer carne de cachorro e de gato é errado?

Achei que os argumentos do “Sim” foram melhores, baseado em fatos e em nossa realidade e os argumentos do “Não” apenas em histórias e opiniões. De qualquer forma eu acho que, se existe um lugar em que eles comem cachorros e gatos, deixa eles comerem! Mas aqui não daria certo por todas as razões mencionadas na matéria e que todos já podem imaginar. Não se pode aceitar comer os bichos que são parte de várias famílias né gente?!

Capa: Me engana que eu gosto

Adorei essa matéria! Várias curiosidades!

de de

Super Interessante ed. 334 - Junho 2014




Essa edição inteira é sobre futebol e como eu não gosto muito de futebol acho que vou comentar poucas coisas, mas vamos lá!

Super Novas

O Brasil produziu as caxirolas para substituir as vuvuzelas na Copa 2014... Hein? Só ouvi falar disso agora minha gente! Acho que não fizeram muito sucesso...

Fonte

Sobre as derrotas do Brasil nas copas tem um gráfico indicando que o Brasil normalmente é eliminado pelos campeões ou vices (como aconteceu esse ano também).

Ser fanático traz felicidade! Porque o fanático se sente parte de um grupo  e a “camaradagem com outros fãs têm um efeito psicológico positivo”. Concordo totalmente porque eu nunca fui fã de nada e sempre me senti um pouco sozinha também.

Fonte
Os atletas (ricos, claro!) estão comprando câmaras de nitrogênio, onde eles entram e são quase congelados, para recuperação dos músculos, no entanto, os cientistas não garantem se isso é mais eficiente do que uma banheira de gelo.