de de

Era uma vez...

Me deu vontade de escrever uma história com "Era uma vez...", então vamos nessa:

Era uma vez uma moça muito feia que morava em uma casa mais feia ainda. A moça ainda se salvava porque era limpinha, mas da casa já não se podia dizer a mesma coisa. A cidade onde a moça morava não era feia, mas não chegava a ser bonita. As pessoas eram mais bonitas do que a moça (caso contrário ela não seria feia), mas não eram mais bonitas do que a cidade.

Por uma questão lógica, a beleza não era um quesito importante a ser considerado naquela cidade. As pessoas não se importavam com a aparência e viviam felizes se importando com outras coisas, como a felicidade.

Certo dia uma moça muito linda, de uma cidade vizinha (mesmo assim distante), acabou chegando até a cidade não tão bonita assim. Lá ela descobriu que era a moça mais linda da cidade. Ficou tão orgulhosa de sua beleza que pediu a vinda de seus pais para a cidade. Então a família linda se mudou.

Algumas semanas depois os homens brigavam entre si, disputando aquela linda moça, as moças disputavam entre si tentando tornar-se iguais a ela, a moça linda chorava por não ter amigos, os pais lamentavam morar em uma cidade tão violenta. Então a família linda se mudou.

Algumas outras semanas depois, alguns homens ainda brigavam entre si, porque gostaram de fazer isso, algumas moças ainda disputavam quem era a mais bela, porque haviam descoberto quanta beleza ainda havia para ser alcançada, a família linda vivia feliz em uma cidade linda com uma população linda.

E a moça feia observava tudo desde o início da história, imaginando quanta bobagem se pode dizer em tão poucas palavras.



de de

Belo Belo - Manuel Bandeira

Belo belo minha bela
Tenho tudo que não quero
Não tenho nada que quero
Não quero óculos nem tosse
Nem obrigação de voto
Quero quero
Quero a solidão dos píncaros
A água da fonte escondida
A rosa que floresceu
Sobre a escarpa inacessível
A luz da primeira estrela
Piscando no lusco-fusco
Quero quero
Quero dar a volta ao mundo
Só num navio de vela
Quero rever Pernambuco
Quero ver Bagdá e Cusco
Quero quero
Quero o moreno de Estela
Quero a brancura de Elisa
Quero a saliva de Bela
Quero as sardas de Adalgisa
Quero quero tanta coisa
Belo belo
Mas basta de lero-lero
Vida noves fora zero.



de de

Não quer mais?


-- De tudo que se pode dizer a única vontade que tenho é dizer nada você deveria perceber e pronto! Eu não tenho que ficar explicando o que estou sentindo a todo momento! Não quero um analfabeto no amor, eu quero que você seja experiente e saiba decifrar os sinais! Eu sei, eu sei que não tive boas experiências antes de você. Também sei que provavelmente não terei depois de você... E você é legal, gentil, doce, mas você precisa entender que eu preciso de alguém experiente...

-- Mas amor, eu te dou tudo! Eu te amo mais do que a mim mesmo!

-- Querido, olha, está tudo acabado! Você é muito bom pra mim, eu não mereço você! Por favor, não... Não! Não chora! Por favor! Não entenda isso como o fim da sua vida, pelo contrário, encontre uma mulher legal e que esteja a sua altura. Eu não sou essa mulher! Eu preciso de alguém mais experiente.

-- Você quer um cafajeste? Alguém que não dê a mínima para os seus desejos e faça o que bem entender?!

-- Não! Não... Claro que não querido... Eu não sou assim. Só estou dizendo que nossa química não deu certo.

-- Quer saber, você tem toda razão meu bem. Você me fez mesmo um grande favor.

-- Como assim?

-- Sandra me trata bem e sempre se interessou por mim. Você tem razão! Vou procurá-la.

-- Meu amor, também não é assim... Volta aqui amor!

Fonte: Dani Burman